Sindpol lança manifesto por segurança e fim da corrupção - Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas
  • Alagoas, de 2014
Cidades

Sindpol lança manifesto por segurança e fim da corrupção

Categoria discute indicativo de greve em assembleia geral marcada para sexta-feira

Assessoria 09 Mai de 2012 - 17:57

Foto: Ilustração

O Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol) está lançando um manifesto pela valorização dos policiais civis, pela recuperação da segurança pública e contra a corrupção.

O Sindpol também irá realizar assembleia geral com indicativo de greve, na próxima sexta-feira (11), no auditório da entidade sindical, a partir das 9h.

Na nota, o sindicato destaca que: “Os policiais civis, cansados desse processo perverso de destruição dos serviços públicos e da ausência total de uma política de valorização profissional, apontam a greve como o ultimo instrumento de luta para o Estado de Alagoas sem corrupção e que recupere e valorize seus servidores públicos concursados”.

Leia na íntegra:

MANIFESTO DO SINDPOL/AL

“Por condição de trabalho, manutenção dos serviços públicos e fim da corrupção

Há cinco anos, que o Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (SINDPOL-AL) trava uma incansável negociação com o governo de TEOTÔNIO VILELA FILHO (PSDB) por política de valorização profissional dos policiais civis.

A proposta do sindicato é o PLANO DE CARGOS E CARREIRA e o PISO SALARIAL que visam melhorar a qualidade do atendimento à sociedade. Mas infelizmente, o que existe de concreto é o sucateamento perverso da segurança pública do Estado de Alagoas. Prova disso são delegacias desestruturadas, insalubres, superlotadas de presos e sem condição de atendimento, como exemplo, o 3º Distrito Policial e as delegacias regionais de Delmiro Gouveia, Santana do Ipanema, Palmeira dos Índios, Matriz de Camaragibe, União dos Palmares, entre outras.

O Instituto Médico Legal (IML) de Maceió virou uma piada governamental com as promessas de reformas e de construção de uma nova sede, que nunca saíram do papel. Enquanto isso, Alagoas virou referência mundial em índice de assassinatos. Mais de 11 mil homicídios em cinco anos no Governo Téo. O Estado não oferece condições para realização de perícia e de investigação. O número de policiais é insuficiente para atender todas as cidades de Alagoas. O último concurso aconteceu há mais de dez anos.

O governo ainda tem reduzido, sistematicamente, o acesso da população às delegacias. Criou a Central de Policia de Maceió em um local que não disponibiliza de linha de ônibus e é distante da maioria dos bairros. E a situação tende a piorar. Recentemente, a Secretaria Estadual de Defesa Pública apresentou um projeto que acaba com todas as delegacias de polícia. O objetivo do governo é reduzir as delegacias regionais em 25 Áreas Integradas de Segurança Pública (AISP), e as distritais em subáreas, o que impossibilitará o acesso da população à Polícia Civil.

Poderes - A parceria celebrada entre os poderes - Executivo, Judiciário, Legislativo e Ministério Público - apenas garante até agora o sucateamento  e  o fim dos  serviços  públicos   no  Estado  de Alagoas; em troca, esses poderes são atendidos em seus anseios financeiros.

Corrupção - As denúncias de corrupção desenfreada em Alagoas são comuns e chegam a mais de R$ 1 bilhão. Até a Secretaria de Defesa Social foi alvo, veja a relação abaixo:

- Operação Espectro (Segurança de Defesa Social):  R$  300  milhões;

- Operação Navalha: 14 milhões;

- Operação Taturana: R$ 300 milhões;

- Operação Rodoleiro: R$ 100 milhões;

- Locação de Veículos: R$ 29 milhões; 

- Locação do Helicóptero: R$ 5 milhões. A empresa beneficiada é a mesma que foi utilizada na campanha do governo;

- Reformas das Escolas sem licitação: 47 milhões;

- Pagamento antecipado de dívida ao Paraná: 106 milhões (Letras Financeiras – as letras podres);

- Reformas nas delegacias de Alagoas sob suspeitas;

- Incremento de R$ 1 bilhão no orçamento do Estado para beneficiar apadrinhados políticos do Governo. 

Os policiais civis, cansados desse processo perverso de destruição dos serviços públicos e da ausência total de uma política de valorização profissional, apontam a greve como o ultimo instrumento de luta para o Estado de Alagoas sem corrupção e que recupere e valorize seus servidores públicos concursados.”

Comentários


  • Todos nós que somos brasileiros, temos o dever de denunciar esses LARAPIOS DO DINHEIRO PUBLICO, Que serviria para investimentos em EDUCAÇÃO, SAÚDE E SEGURANÇA PUBLICA, entre outras areas dos Estados. LUGAR DE CORRUPTO É NA CADEIA, PRISÃO PARA TODOS OS MAL em 10/05/2012 as 16:23

    Escreva

    O Tribuna Hoje coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais.

    Você também pode nos ajudar a moderar comentários considerados ofensivos, difamatórios, impróprios e/ou que contenham palavras de baixo calão: para isso, envie um e-mail para denuncie@tribunahoje.com.

    Digite o código abaixo para enviar seu comentário.