Hamilton substituirá Schumacher na Mercedes em 2013, diz Eddie Jordan - Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas

Esporte

05 Setembro de 2012 - 20:00

Hamilton substituirá Schumacher na Mercedes em 2013, diz Eddie Jordan

Comentarista afirma que britânico trocará McLaren por Mercedes
Globo Esporte
Sem se acertar com McLaren, Hamilton faz mistério sobre seu futuro na Fórmula 1 Getty Images Sem se acertar com McLaren, Hamilton faz mistério sobre seu futuro na Fórmula 1

A novela da renovação do contrato de Lewis Hamilton com a McLaren, que tem se arrastado durante o ano, pode acabar em separação. De acordo com Eddie Jordan, comentarista de Fórmula 1 da BBC, o britânico seguirá para a Mercedes em 2013, no lugar de Michael Schumacher, que se aposentará novamente no fim do ano.

- Acredito que Hamilton e Mercedes já acertaram termos pessoais e um acordo pode ser iminente. Algumas semanas trás, disse na TV que senti que Lewis estava de saída e imaginei que ele tinha conversado com a Ferrari, que sabemos hoje que é verdade. Agora posso confirmar que seus representantes tiveram reuniões com a Mercedes. – disse o ex-chefe da equipe que levava seu sobrenome.

Vale lembrar que foi o próprio Jordan quem deu em primeira mão o retorno de Schumi à F-1 na escuderia alemã em 2010. Foi ele também que cravou a troca de Nick Heidfeld por Bruno Senna na Renault-Lotus no meio da temporada 2011.

Jordan acredita que a questão salarial e a estratégia de marketing do piloto farão a diferença para um possível acordo.

- A McLaren deixou claro que não pode oferecer a ele um salário tão grande quanto o atual de 15 milhões de dólares anuais (R$ 30 milhões), que foi negociado antes da crise financeira mundial. Além disso, o time precisa pagar pelos motores da Mercedes para a próxima temporada. A ida de Hamilton para a Mercedes também faz muito sentido no contexto de seu empresário Simon Fuller, que gerencia as Spice Girls e David Beckham. Fuller busca posicionar Hamilton como uma estrela global, como Beckham. E a Mercedes é uma marca muito maior globalmente que a McLAren.

Além disso, Jordan chama a atenção para a necessidade de afirmação da Mercedes em seu retorno à F-1. Já que a escuderia não conseguiu resultados expressivos com Schumacher.

- Há algumas incertezas na posição da Mercedes na F-1. O conselho está insatisfeito com a performance atual do time, mas a chegada de Hamilton, sem dúvida, seria um grande impulso e poderia dar ao time um espaço para respirar - concluiu.

Representantes de Hamilton e Mercedes se negaram a comentar o caso. Campeão mundial de 2008, o britânico tem contrato válido com a McLaren apenas até o fim desta temporada. Ele e o time ainda não chegaram a um acordo para estender o vínculo.

No último fim de semana, Bernie Ecclestone, dono dos direitos comerciais da categoria, afirmou a Jordan que o heptacampeão Schumacher deixará a F-1 no fim do ano.

- Lamento ele nos deixar sem vencer (uma corrida em seu retorno), porque ele é um vencedor – comentou o chefão.

Hamilton é apoiado pela escuderia inglesa desde os tempos de kart. Pupilo do ex-chefe do time, Ron Dennis, o piloto estreou na McLaren em 2007 e conquistou o título mundial no ano seguinte. Além disso, venceu 19 provas e subiu ao pódio 47 vezes em 102 corridas.

Comentários

O Tribuna Hoje coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais.

Digite o código abaixo para enviar seu comentário.