Caso Bárbara: polícia diz que está bem perto do desfecho - Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas
  • Alagoas, de 2014
Cidades

Caso Bárbara: polícia diz que está bem perto do desfecho

Família da estudante esteve com o secretário Dário César e com diretor da PC

14 Setembro de 2012 - 09:40

Foto: SDS

Secretário e delegado-geral ressaltaram para a família importância do ‘silêncio’ nas investigações

Secretário e delegado-geral ressaltaram para a família importância do ‘silêncio’ nas investigações

Familiares da estudante Bárbara Regina, desaparecida desde o dia 1º de setembro, estiveram reunidos com o secretário de Defesa Social, Dário César; o diretor-geral da Polícia Civil, Paulo Cerqueira, e a secretária da Mulher, Direitos Humanos e Cidadania, Kátia Born.

Para a advogada da família, Karine Brandão Sampaio, a reunião que aconteceu a portas fechadas deixou uma sensação de alívio para a família, pois, segundo ela, o secretário esboçou todo o empenho para o desfecho breve deste caso, que já dura duas semanas.

“A família a cada dia que passa fica desesperada, sem notícias de Bárbara. A emoção e a razão estão juntas nesta situação. Ora acreditam que a garota está viva e esperam que bem, ora creem que Bárbara já não está mais entre nós. A ansiedade é grande, mas a polícia está trabalhando e está tendo toda a cautela para que nenhum indício seja perdido. Eles realmente estão debruçados no caso, mas é necessário que o corpo apareça”, declarou a advogada.

Segundo Karine Sampaio, todas as linhas e hipóteses estão sendo levantadas e a família acredita que não deva demorar muito para se chegar ao desfecho da investigação. “Nós marcamos esta reunião com o secretário Dário César por não aguentarmos mais este desaparecimento, e clamarmos por justiça. Segundo o secretário, a polícia está próxima do desfecho, porém ainda depende de situações que ainda estão sendo investigadas”, ressaltou.

A tia de Bárbara, Rosângela Leite, que mora na parte alta de Maceió, relatou que se sentiu intimidada com uma situação recente, em que dois homens que estavam numa moto na esquina da rua que mora ficaram observando a casa. Ela informou o fato para a polícia. “É natural no mundo de hoje você temer a violência, principalmente na situação em que a família se encontra. Rosângela é costureira e uma cliente, quando foi até a sua casa, percebeu os motoqueiros observando o local. Pode ser até impressão, mas do jeito que está, ninguém pode facilitar”, frisou a advogada da família.

A secretária Kátia Born, que esteve na reunião, disse que está acompanhando de perto a investigação policial. “A polícia está investigando de forma correta, mas não se podem passar agora as informações para não atrapalhar o andamento do inquérito policial. A polícia quer passar para a imprensa quando tudo realmente estiver formatado”, finalizou.  

Dário Cesar fez questão de ressaltar para a mãe de Bárbara, Valéria Leite, e para outros parentes, que a Polícia Civil está empenhada para esclarecer o caso o mais rápido possível. Ele destacou ainda a necessidade do silêncio para o bom andamento das investigações.

Comentários


  • Essa polícia de ALAGOAS, nõ consegue encontrar grama em campo de futebol. Despreparada, mal paga ineficiente e de quantidade pequena. É essa polícia d ALAGOAS a polícia nova, a políci que não rui, nova, novinha.

    matias dos santos em 15/09/2012 as 21:38

    eh um caso complicado mesmo.. mas podemos ver q a moça eh de familia humilde... ou seja..... nao vai ser solucionado......

    em 15/09/2012 as 03:26

    Este caso é realmente muito triste, não paro de pensar na família e na moça. A sociedade alagoano cobra e espera a elucidação deste caso o mais breve possível. Não conheço a moça nem a família , mas devemos nos colocar no lugar deles...

    eliane colatino em 15/09/2012 as 01:31

    Escreva

    O Tribuna Hoje coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais.

    Você também pode nos ajudar a moderar comentários considerados ofensivos, difamatórios, impróprios e/ou que contenham palavras de baixo calão: para isso, envie um e-mail para denuncie@tribunahoje.com.

    Digite o código abaixo para enviar seu comentário.