Cartinhas para o Papai Noel dos Correios pedem de frango assado a vaga em time de futebol - Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas
  • Alagoas, de 2014
Brasil

Cartinhas para o Papai Noel dos Correios pedem de frango assado a vaga em time de futebol

Desde 2010, a campanha passou a incentivar crianças de escolas, abrigos, núcleos socioeducativos e creches a escrever cartinhas para o Papai Noel

Vírgula 11 Dezembro de 2012 - 07:45

Foto: Reprodução

Pedidos ao Papai Noel são dos mais variados

Pedidos ao Papai Noel são dos mais variados

Papai Noel dos Correios é um sujeito que dá duro no Natal. Ele mora no centro de São Paulo e chega a distribuir 480 mil presentes em várias cidades espalhadas pelo Brasil.

O mais legal é que qualquer pessoa pode ajudar no trabalho desse bom velhinho, participando da campanha Papai Noel dos Correios, que existe há 20 anos. Segundo o diretor regional dos Correios de São Paulo, Wilson Abadio de Oliveira, o projeto começou como uma iniciativa dos próprios funcionários, que decidiram responder às cartinhas que chegavam na época do Natal.

Hoje, o projeto passou a ser uma ação coorporativa, desenvolvida em todas as 28 diretorias regionais da Empresa de Correios e Telégrafos. “Além de estimular a redação de cartas manuscritas pelas crianças, a campanha incentiva a solidariedade tanto dos funcionários como da população”, afirma Oliveira.

Desde 2010, a campanha passou a incentivar crianças de escolas, abrigos, núcleos socioeducativos e creches a escrever cartinhas para o Papai Noel – todas recebem, no mínimo, uma carta-resposta do velhinho. Em 2011, foram mais de 1 milhão de cartas recebidas em agências de todo o Brasil e cerca de 480 mil adotadas.

Os milhares de pedidos recebidos passam por uma triagem feita por funcionários e voluntários, que selecionam e cadastram as cartas de acordo com alguns critérios. As cartas são repassadas às principais agências e, a partir de então, ficam à disposição da população, que pode “adotar” um pedido de acordo com o que cabe no bolso. A pessoa compra o presente e leva até uma agência do Correio, que fica encarregada de entregar o mimo à criança, sem custo para o “padrinho”.

O Papai e a Mamãe Noel oficiais dos Correios são voluntários que participam há 10 anos da campanha e recebem crianças na Agência Central dos Correios, em São Paulo. “Nós recebemos um número imenso de cartas de agradecimento e isso é uma prova do quanto é gratificante poder realizar o sonho da criançada e manter viva a magia do Natal”, diz a dupla, que não pode revelar seus nomes de batismo.

BONECAS, ROUPAS E ATÉ BOLO DE ANIVERSÁRIO

Eles relembram algumas histórias marcantes, como a do menino que pediu um bolo de aniversário, pois nunca tinha tido uma festa só para ele. “Todos ficaram sensibilizados. Preparamos uma surpresa para ele, que, claro, ficou deslumbrado com o desejo atendido”, conta o Papai Noel. Teve também o pedido de uma menina que ia fazer uma cirurgia e mandou uma carta pedindo “ao Papai Noel para conversar com o Papai do Céu para que desse tudo certo”, conta, comovido.

Ano passado, um menino escreveu uma carta pedindo a realização do sonho de jogar futebol. A diretoria dos Correios entrou em contato com o Palmeiras. O time se comoveu com o pedido, e hoje o garoto treina no clube.

Entre os pedidos mais comuns estão: bicicletas, bonecas, carrinhos, bolas, skates, patinetes, videogames, notebooks, tablets, celulares, camisetas de time, instrumentos musicais, roupas, sapatos. Além dos brinquedos, muitas crianças de famílias mais humildes pedem coisas inusitadas como cestas de natal, jogos de pratos e copos e até um frango assado com refrigerante.

Há também cartinhas pedindo tratamentos médicos, remédios ou apenas um emprego para os pais, que precisam sustentar a família. “Lembro-me de uma criança que pediu um banheiro novo para sua casa, pois precisava de instalações especiais para a avó, que tinha um problema de saúde”, conta uma funcionária.

O publicitário Vander de Paula, que participa da campanha há três anos, conta que conheceu o projeto por meio da empresa em que trabalhava e desde então não parou de ajudar. Voluntária pelo segundo ano, Thaís Del Busso, também publicitária, acredita que é uma maneira fácil e confiável de fazer um gesto de solidariedade. “A gente acaba se envolvendo com as histórias”, afirma.

As datas da campanha, que podem variar de Estado para Estado, e outras informações oficiais podem ser obtidas através do site Papai Noel Dos Correios ou pelos telefones 3003 0100 (capitais e regiões metropolitanas) e 0800 725 7282 (demais localidades). 

Comentários


  • Seja o primeiro a comentar.

    Escreva

    O Tribuna Hoje coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais.

    Você também pode nos ajudar a moderar comentários considerados ofensivos, difamatórios, impróprios e/ou que contenham palavras de baixo calão: para isso, envie um e-mail para denuncie@tribunahoje.com.

    Digite o código abaixo para enviar seu comentário.