Comoção marca sepultamento de jovem morto por bala perdida - Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas
  • Alagoas, de 2014
Cidades

Comoção marca sepultamento de jovem morto por bala perdida

Familiares e amigos com cartazes cobram pena máxima por assassinato e de joelhos clamam por justiça divina

15 Janeiro de 2013 - 13:26

Foto: Sandro Lima

Pai de John também se ajoelha clamando por Justiça

Pai de John também se ajoelha clamando por Justiça

Familiares e amigos do jovem de 22 anos, John Heberth da Silva, morto por uma bala perdida deflagrada pelo motivo da demora no trânsito durante a festa do boi, no bairro de Fernão Velho, no domingo passado, prestaram o último adeus ao rapaz, que sonhava cursar Engenharia Mecânica.   

Com cartazes, irmãos de John Heberth clamavam por Justiça, principalmente pena máxima para Josivaldo Manoel da Silva, que estava em um Honda Civic de placa NMK-5168, e é acusado de ter deflagrado 18 disparos de arma de fogo em via pública por motivo torpe, diante da demora no trânsito, durante a comemoração da festa do boi, em Fernão Velho.

Os disparos atingiram John no abdômen e feriu mais três pessoas: Wanderley Izídio Máximo, que está em estado gravíssimo no Hospital Geral do Estado (HGE), Robson Rafael da Silva, que foi submetido à cirurgia e encontra-se internado na Recuperação do Centro Cirúrgico em estado estável, e Anderson Nascimento que teve alta médica na segunda-feira (14).

Cartazes cobram pena máxima para autor dos disparos

“Meu irmão não era marginal, ele estava junto com a família na porta de casa de um amigo da gente de lá de Fernão Velho. Era inteligente e querido por todos; seu maior sonho era ser jogador de futebol. Sou irmã mais velha dele, ele me tinha como uma mãe; nunca imaginávamos que iríamos perder nosso irmão vítima de bala perdida. Ainda vem este vagabundo, autor dos disparos, dizer que meu irmão estava no local errado e na hora errada! Este bandido era que estava no lugar errado, ele não deveria ter saído de Pernambuco aonde mora, agora vem alegar que sofre de problemas psiquiátricos para se safar... Iremos até o fim, queremos Justiça da terra, pois sabemos que ele terá a justiça de Deus”, disse aos prantos e ajoelhada dentro do cemitério, Leilda Da Silva Fêlix, irmã mais velha de John.

Outro irmão de John fez questão de lembrar que Josivaldo Manoel da Silva já tem passagem pela polícia no Estado de Pernambuco, segundo ele, o acusado tinha sido preso em flagrante por tráfico de drogas e homicídio.

“Ninguém está livre da violência, qualquer um pode ser vítima, cadê as autoridades? Quem apareceu para ser solidário com a família de John? O bandido está ai preso, mas vai alegar que é doido para sair da prisão, mas meu irmão foi quem ficou preso para sempre. Nossa família está destruída e o carnaval vem ai para fazer mais vítimas inocentes”, desabafou Rosival Fêlix.

Leia mais: Homem abre fogo durante briga de trânsito, mata um e deixa três feridos   

Rosival reclamou da morosidade da polícia ao ser informado que não seria ouvido pelo delegado no dia do crime. “O delegado de plantão na Central de Polícia disse que não ia meu ouvir durante o flagrante, estranhei, porque vi toda a cena do homicídio e tentativa de homicídio, o delegado tinha que pegar meu depoimento. O delegado não quis me passar nenhuma informação, supostamente instruído por dois advogados de defesa do bandido”, apontou.

A família avisou que vai acompanhar as investigações policiais e cobrar pena máxima para Josivaldo Manoel da Silva, que está preso desde o último domingo.          

Leia mais: Família de jovem morto em Fernão Velho promete protesto nesta terça

Comentários


  • Não podemos deixar que esse crime fique impune. Vamos sair as ruas clamando por justiça.

    Márcio em 16/01/2013 as 13:28

    Escreva

    O Tribuna Hoje coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais.

    Você também pode nos ajudar a moderar comentários considerados ofensivos, difamatórios, impróprios e/ou que contenham palavras de baixo calão: para isso, envie um e-mail para denuncie@tribunahoje.com.

    Digite o código abaixo para enviar seu comentário.