Secretário executado tinha vida política conturbada - Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas
  • Alagoas, de 2014
Política

Secretário executado tinha vida política conturbada

Márcio Bomfim chegou a dizer que estava sendo ameaçado por outro vereador

23 Mai de 2013 - 11:35

Foto: Sandro Lima

Márcio Bomfim foi encontrado morto em Passo do Camaragibe

Márcio Bomfim foi encontrado morto em Passo do Camaragibe

A possível execução do ex-vereador da Barra de Santo Antônio, Márcio Bomfim (PMN), começou a ser investigada pela Polícia Civil. O delegado Belmiro Cavalcante, responsável pelo inquérito tem uma tese de que ‘alguma pessoa conhecida tenha vitimado’ o então secretário de Agricultura de Passo de Camaragibe.

A vida política de Bomfim começou a ganhar notoriedade na imprensa no ano 2012. O pequeno município da Barra de Santo Antônio, no Litoral Norte de Alagoas, transformou-se em um palco de agressões verbais e uma série de acusações entre os vereadores e a então chefe do Executivo, Maria Cícera Casado, a Ciçou, do PTB.

Em maio do ano passado, Márcio Bomfim concedeu entrevista à reportagem do portal Tribuna Hoje e ao jornalismo da Tribuna Independente e disse quee estaria sendo ameaçado pelo vereador Marcos Rios, presidente da Câmara Municipal, afastado pelo Tribunal de Justiça, por suposto desvio de R$ 100 mil dos cofres do Legislativo. A trama ficou conhecida como ‘Farra dos Cheques’.

Com o afastamento de Rios, Bomfim assumiu a presidência da Câmara, e afirmou que durante as sessões ordinárias ouvia dos correligionários de Marcos Rios frases como: ‘Aqui se faz, aqui se paga’.

Em outra oportunidade, os trabalhos na Câmara foram parar na delegacia da Barra de Santo Antônio. Em outubro de 2012, os vereadores iriam aprovar instalação de uma Comissão Processante de Investigação para apurar denúncias de desvio de recursos praticados pelo presidente da Câmara, Marcos Rios (PRTB).

Marcos Rios, por sua vez, afirmou que a sessão que estava prestes a acontecer não teria legitimidade. Foi o estopim para que os vereadores fossem resolver questões legislativas na sala do delegado plantonista.

Cassação de mandato

O clima político no pacato município esquentava de vez. No mês de outubro, a Câmara de Vereadores, presidida por Márcio Bomfim afastou a prefeita Maria Cícera do mandato. Assumiu o Executivo, o então presidente da Casa.

Em 21 de dezembro de 2012, a Câmara da Barra de Santo Antônio decidiu cassar Maria Cícera Casado após as investigações realizadas por uma Comissão Processante, que tinha Marcos Rios como integrante.

Segundo o relatório da Comissão, a prefeita teria transformado Procuradoria Geral do Município em um verdadei­ro cabide de empregos. Legalmente existia um único cargo em comissão, que é o do procurador-geral com sa­lário de R$ 1.800. Entretan­to, de acordo com os vereadores, inventaram um cargo em comissão de consultor jurídi­co para acomodar o advoga­do particular da prefeita, pa­gando R$ 4.234,45. Além disso, criaram mais seis cargos fantasmas, sem previsão de lei e com um custo de R$ 10.308,39. 

Comentários


  • Na realidade nada vai trazer nosso amigo de volta mais que seja feita justiça para que não volte a acontecer com outros inocentes se vai um grande homem com uma vida inteira pela frente ....

    Elaine Barros em 24/05/2013 as 22:04

    Sinceramente é lamentável essas suposições. Todas as desavenças que por ventura tenha ocorrido entre o MArcos e o Marcio foram superadas. Pq vcs não fazem suposições com relação as brigas políticas do Passo de Camaragibe? Vcs estão cometendo uma injustiça muito grande. Mas Deus provera!!!!

    Ana Laura em 23/05/2013 as 21:50

    Agora não importa mais quem era o ser humano assassinado, o que importa é que temos um crime de pistolagem que evemos investigar e prender os culpados antes que esse caso chegue aos níveis do caso de Bárbara regina em que os investigadores não conseguem encontrar um caroço numa jaca.

    MARIA S.R. SANTOS em 23/05/2013 as 20:45

    Escreva

    O Tribuna Hoje coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais.

    Você também pode nos ajudar a moderar comentários considerados ofensivos, difamatórios, impróprios e/ou que contenham palavras de baixo calão: para isso, envie um e-mail para denuncie@tribunahoje.com.

    Digite o código abaixo para enviar seu comentário.