Lua Cheia vai estar hoje à noite maior e mais brilhante - Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas
  • Alagoas, de 2014
Mundo

Lua Cheia vai estar hoje à noite maior e mais brilhante

"Super Lua" de 2013 só voltará a suceder dentro de 18 anos

23 Jun de 2013 - 11:41

Foto: Divulgação

Imagem ilustrativa

Imagem ilustrativa

A Lua Cheia vai estar hoje maior e mais brilhante do que o habitual, fenômeno que só voltará a repetir-se, nas mesmas condições, dentro de 18 anos, segundo o Observatório Astronómico de Lisboa (OAL).

Se o céu estiver limpo, a "Super Lua" pode ser visível entre as 21h06 (hora de Lisboa), quando nasce, e as 06h14 de segunda-feira, quando se põe.

O fenômeno acontece uma vez por ano, quando a fase de Lua Cheia ocorre perto do perigeu, ponto da órbita da Lua mais próximo da Terra. Nestas condições, a Lua Cheia é maior e mais brilhante.

Contudo, no domingo, o tamanho e o brilho da Lua Cheia será ainda maior, uma vez que a Lua Cheia estará mais perto do perigeu orbital, a 21 minutos de distância, explicou hoje à agência Lusa o diretor do OAL, Rui Agostinho, acrescentando que a "Super Lua" de 2013 só voltará a suceder dentro de 18 anos.

Segundo o OAL, a Lua Cheia terá, no domingo, um tamanho 14 por cento maior e será 30 por cento mais brilhante do que a Lua Cheia no apogeu, ponto da órbita da Lua mais distante da Terra.

Sem estas características, a Lua Cheia volta a estar mais próxima do perigeu, em 2014, mas numa data diferente, a 10 de agosto, dado que a órbita da Lua não é constante, assumindo a forma de uma elipse.

No domingo, a "Super Lua", como qualquer Lua Cheia, pode ser vista a olho nu, mas também com o auxílio de binóculos e telescópios. O Observatório Astronómico de Lisboa organiza, a partir das 20h30, uma sessão especial de observação, com entrada livre.

Na fase de Lua Cheia, em que a Lua está totalmente iluminada, são visíveis, com um telescópio, as crateras, os vales, os mares e as montanhas, embora certos detalhes à superfície, como a sombra projetada das montanhas na Lua, na transição de condição de iluminada para escura, só possam ser observados na fase de Quarto Crescente, apontou Rui Agostinho.

A Terra dista, em média, 384.400 quilómetros da Lua. No perigeu médio, a distância diminui para 363.100 quilómetros e no apogeu médio aumenta para  405.700 quilómetros, de acordo com o OAL.

O Observatório adianta que, no domingo, no momento em que a "Super Lua"  estará mais próxima do horizonte, a partir das 21h06 (hora de Lisboa), o  tamanho da Lua que os olhos veem será maior do que efetivamente é, não é o real.

"É um efeito ótico, uma construção do cérebro", assinalou Rui Agostinho.

Para o demonstrar, o diretor do Observatório Astronómico de Lisboa recorre a uma pequena experiência: se se olhar para a Lua Cheia quando estiver a nascer e tapar-se a metade debaixo com uma folha de papel, "o cérebro reduz o tamanho da Lua".

Diário Digital/Lusa

Comentários


  • Seja o primeiro a comentar.

    Escreva

    O Tribuna Hoje coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais.

    Você também pode nos ajudar a moderar comentários considerados ofensivos, difamatórios, impróprios e/ou que contenham palavras de baixo calão: para isso, envie um e-mail para denuncie@tribunahoje.com.

    Digite o código abaixo para enviar seu comentário.