Pedido de recuperação da OGX é 'morte do sonho brasileiro', diz site - Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas
  • Alagoas, de 2014
Economia

Pedido de recuperação da OGX é 'morte do sonho brasileiro', diz site

Reportagem no portal da Forbes avaliou a diferença da fortuna do empresário brasileiro em 2011 e atualmente

G1 30 Outubro de 2013 - 20:32

Foto: Reprodução

Reportagem cita o pedido de falência da OGX como fim do sonho brasileiro

Reportagem cita o pedido de falência da OGX como fim do sonho brasileiro

O pedido de recuperação judicial da OGX, de Eike Batista, marca o fim do sonho brasileiro, segundo reportagem do site da Forbes, publicada nesta quarta-feira (30).

A Forbes lembra que avaliou a fortuna do empresário brasileiro em US$ 30 bilhões no início de 2011 e que atualmente valem menos de US$ 1 bilhão. "O próprio Batista previu que em breve se tornaria o homem mais rico do mundo, deixando Carlos Slim, Bill Gates e Warren Buffett na poeira", diz o texto.

Para a agência de notícias Bloomberg, o pedido marca o fim da perda de US$ 30 bilhões da fortuna pessoal de Eike Batista, diz reportagem.

A petroleira OGX, controlada por Eike Batista, entrou nesta quarta com pedido de recuperação judicial. O pedido foi feito pelo advogado Sergio Bermudes. Com isso, as ações da empresa deixam de ser negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).

A Forbes vê que a queda da OGX pode ser apenas a primeira de várias dores de cabeça para o empresário em apuros, e aponta que a OSX também está na berlinda.

Para a Bloomberg, o pedido de recuperação é o ápice de 16 meses de perdas no patrimônio, que levaram de US$ 30 bilhões do empresário.

Comentários


  • Seja o primeiro a comentar.

    Escreva

    O Tribuna Hoje coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais.

    Você também pode nos ajudar a moderar comentários considerados ofensivos, difamatórios, impróprios e/ou que contenham palavras de baixo calão: para isso, envie um e-mail para denuncie@tribunahoje.com.

    Digite o código abaixo para enviar seu comentário.