Sargento acusado em duplo homicídio segue preso - Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas
  • Alagoas, de 2014
Polícia

Sargento acusado em duplo homicídio segue preso

Vítimas seriam integrantes da quadrilha de jovens de classe média investigada na “Operação Playboy”

Assessoria 31 Outubro de 2013 - 11:15

Foto: Assessoria

Silvio Bismarck Ângelo e Edivaldo Polido Lins Neto foram encontrados mortos

Silvio Bismarck Ângelo e Edivaldo Polido Lins Neto foram encontrados mortos

O desembargador João Luiz Azevedo Lessa, integrante da Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Alagoas, negou o pedido de concessão de liberdade ao sargento da Polícia Militar (PM) Joseildo Ferreira Cavalcante, acusado no duplo homicídio que vitimou Silvio Bismarck Ângelo e Edivaldo Polido Lins Neto. As vítimas seriam integrantes da quadrilha de jovens de classe média investigada na “Operação Playboy”. Joseildo está sob custódia no Presídio Baldomero Cavalcante, desde julho de 2013.

      De acordo com o processo, na chamada área nobre de Maceió, a quadrilha mantinha as vítimas no próprio carro, enquanto usava seus cartões bancários para fazer saques eletrônicos ou compras em lojas de grife. Os corpos foram encontrados num canavial na área rural do município de Satuba, Região Metropolitana de Maceió.

      O advogado de defesa alegou que seria impossível a participação do PM Joseildo no homicídio, pois, no momento do crime, o réu se encontraria trabalhando. Ressaltou ainda que foi concedido habeas corpus preventivo em favor do corréu Guilherme Benício Vilar de Bulhões Barros, um dos acusados nos crimes, devendo o benefício ser estendido a Joseildo, nos termos dispostos no art. 580 do Código de Processo Penal, sendo as prisões preventivas semelhantes.

      Em análise aos autos, o relator do processo, desembargador João Luiz Azevedo, constatou que já houve pedido de soltura do paciente no início de outubro deste ano. Na ocasião, foi denegada a liminar, por não ter sido identificada a semelhança facto-processual com o corréu Guilherme Bulhões, já que, neste caso, não houve demonstração de sua periculosidade.

Comentários


  • Eu não matava não,eu fazia a mesma tortura psicológica que eles fizeram,esse Zé Neto é o mais safado dos 5,cabra safado,ladrão vagabundo,metido de mrda,táaí é um baita de um vagabundo e LADRÃO.

    Srvílio em 19/11/2013 as 09:31

    se fosse ao contrario com certeza o juiz daria a liberdade a eles,delinquente te que morre mesmo,para diminuir

    alagoano em 31/10/2013 as 15:33

    Escreva

    O Tribuna Hoje coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais.

    Você também pode nos ajudar a moderar comentários considerados ofensivos, difamatórios, impróprios e/ou que contenham palavras de baixo calão: para isso, envie um e-mail para denuncie@tribunahoje.com.

    Digite o código abaixo para enviar seu comentário.