Reservatórios de água de SP atingem pior nível da história - Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas
  • Alagoas, de 2014
Brasil

Reservatórios de água de SP atingem pior nível da história

Índice de 19,8% foi registrado neste domingo; chuva ficou abaixo da média

G1 09 Fevereiro de 2014 - 14:59

Foto: Estadão Conteúdo

Represa Jaguari, que faz parte do Sistema Cantareira, em Jacareí (SP), que está mais de 8 metros abaixo do seu nível de vazão devido à falta de chuvas

Represa Jaguari, que faz parte do Sistema Cantareira, em Jacareí (SP), que está mais de 8 metros abaixo do seu nível de vazão devido à falta de chuvas

A capacidade nos reservatórios de água do Sistema Cantareira caiu abaixo dos 20% e atingiu o menor nível da história. O índice registrado neste domingo (9) é de 19,8%, segundo a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

Neste domingo, a chuva na região do sistema foi de 0,9 milímetros e a acumulada no mês de fevereiro, 1,3 milímetro. A média histórica para o mês é de 202,6 milímetros de chuva. A companhia diz esperar chuva para a segunda quinzena de fevereiro.

Formado por quatro represas, o sistema é responsável por abastecer casas de mais de 8 milhões de pessoas na Grande São Paulo. A Sabesp classificou o cenário como "preocupante" e anunciou no sábado (1º) desconto de 30% para quem economizar água.

A falta de chuva e o calor recorde levaram à situação crítica. Segundo a Sabesp, "o mês de dezembro de 2013 foi especialmente ruim: teve 62 milímetros de chuva, quando a média histórica é de 226 milímetros. Foi o pior mês de dezembro desde que a medição começou a ser feita, há 84 anos". Em janeiro as chuvas que normalmente chegam a 300 milímetros, ficaram em 87,7 milímetros. "Além disso,  foi o janeiro mais quente da história e como não chove (o que ajudaria a baixar a temperatura), o consumo de água acaba se mantendo em nível elevado o dia todo", segundo a companhia.

O Cantareira fornece água para casas de mais de 8 milhões de moradores da Zona Norte, do Centro, pequena parte da Zona Leste de São Paulo e 10 municípios da região metropolitana (Franco da Rocha, Francisco Morato, Caieiras, Osasco, Carapicuíba, Santana do Parnaíba, São Caetano do Sul e parte dos municípios de Guarulhos, Barueri, Taboão da Serra e Santo André).

Desconto

No sábado (1º), a Sabesp anunciou o desconto de 30% na conta de quem economizar água. O objetivo é incentivar a queda no consumo por causa da falta de chuva, que reduziu o nível das represas do sistema Cantareira. O desconto vale apenas para os consumidores abastecidos por esse sistema.

A informação sobre o sistema que abastece a residência está disponível na conta de água. "Nos demais, mantém a tarifa normal, porque choveu na média e os sistemas se recompuseram", disse a presidente da Sabesp, Dilma Pena, em entrevista coletiva. "Vamos ter um impacto no faturamento que ainda não mensuramos. E faremos a gestão disso."

O desconto será de fevereiro a setembro, exceto para Santana do Parnaíba, onde a política vai de março a setembro "por uma questão específica do sistema", segundo ela. A presidente da Sabesp afastou a possibilidade de racionamento. "Não estamos pensando em racionamento. Ele não está no nosso radar", asseverou Dilma Pena. Segundo ela, o desconto deve vir já na próxima conta de água recebida pelos consumidores.

A estratégia é similar à usada em 2004, quando já houve desconto na conta para quem economizou água. Desta vez, no entanto, o consumidor pode ter um desconto ainda maior. Quem diminuir o consumo em cerca de 20% terá 30% de desconto na conta.

"Como nós tivemos um índice pluviométrico baixíssimo em janeiro, a Sabesp está adotando, a partir de hoje [sábado], um incentivo econômico para que a população poupe água. O consumidor que reduzir 20% de seu consumo, tendo como referência a média dos últimos 12 meses, terá uma redução na sua tarifa de 30%. Isso tem um impacto significativo na sua conta de água. Como ele reduz o volume, e a estrutura tarifária é por faixa de consumo, então ele tem uma redução real ainda maior", afirmou a presidente da empresa.

Ela explicou que a média de consumo diário é de 161 litros por habitante. A campanha pede que esse valor seja reduzido para 128, ou cerca de 20%. "É um incentivo econômico para que, nessa situação crítica, a população faça a adesão. Temos certeza que a população vai aderir e acatar o chamamento. Não dá para encher a piscina e tomar um banho de 30 minutos. Mas dá para fazer todas as atividades", afirmou.

Dilma Pena explicou que o desconto real na conta dos consumidores que aderirem pode ser ainda maior que os 30%, já que ele será aplicado sobre o valor já menor. "Com a redução, ele passa a ter uma tarifa de 30,9%. Mas, por mudar de faixa, a redução real será de 48%."

A conta do cliente abastecido pelo Sistema Cantareira terá um informe com a meta de redução a ser atingida, segundo a Sabesp. Terá direito ao bônus o cliente que reduzir em 20% o consumo médio de um período de 12 meses.

Saiba como economizar

Para economizar, a Sabesp recomenda que o consumidor adote algumas atitudes diárias.
Veja abaixo:

- tome banhos rápidos e feche a torneira ao ensaboar;
- lave a louça de uma vez e feche a torneira ao ensaboar;
- não lave a calçada e o quintal, use a vassoura;
- ao lavar o carro, use um balde;
- acumule roupas para lavar na máquina de uma vez só;
- deixe a torneira fechada ao escovar os dentes e fazer barba.

Outro fator que colabora para o desperdício de água são os vazamentos. A Sabesp disponibiliza  um curso gratuito que ensina práticas simples para identificar possíveis problemas em instalações hidráulicas. O programa é aberto ao público em geral e é ministrado nos períodos da manhã e tarde.

Os participantes recebem uma cartilha explicativa ilustrada e um certificado de conclusão.
Quem se interessar deve procurar a regional da Sabesp mais próxima de sua residência.

Comentários


  • Seja o primeiro a comentar.

    Escreva

    O Tribuna Hoje coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais.

    Você também pode nos ajudar a moderar comentários considerados ofensivos, difamatórios, impróprios e/ou que contenham palavras de baixo calão: para isso, envie um e-mail para denuncie@tribunahoje.com.

    Digite o código abaixo para enviar seu comentário.