Quadrilha acusada de roubo a bancos e veículos é presa no Sertão - Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas
  • Alagoas, de 2014
Cidades

Quadrilha acusada de roubo a bancos e veículos é presa no Sertão

Parte do grupo, formada por 14 pessoas, estava escondida em Paulo Afonso, na Bahia, onde também agia

11 Fevereiro de 2014 - 09:09

Foto: Adailson Calheiros

Quadrilha é responsável por assaltos a banco em Carneiro, Mata Grande, Monteirópolis, Craíbas e São José da Tapera

Quadrilha é responsável por assaltos a banco em Carneiro, Mata Grande, Monteirópolis, Craíbas e São José da Tapera

Roubo a bancos, súbito e ilícito enriquecimento, furtos e desmanches de veículos, tráfico de drogas no Alto Sertão do Estado e na Bahia. Estas são algumas das acusações contra uma gangue formada por 14 pessoas, presas no último fim de semana pela Polícia Militar, apresentada ontem pela Justiça alagoana.

De acordo com a delegada Ana Luíza Nogueira, diretora de Polícia Judiciária da Área 1, que coordenou as investigações junto com o Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc), o bando era responsável por 60% dos crimes da região.

Há cerca de três meses a quadrilha era investigada pela Polícia Civil e o Ministério Público Estadual. Articulado, o grupo tinha uma casa que servia como ponto de apoio na cidade de Paulo Afonso, na Bahia, segundo a delegada.

“Foram 12 motos roubadas num período de trinta dias, sobretudo em Canapi [17 mil habitantes], mas eles também atuavam na Bahia. Parte da quadrinha estava escondida em Paulo Afonsona, na casa do Aloísio Leocádio, que dava o apoio logístico”, disse.

De acordo com Ana Luíza, o bando é responsável pelos assaltos a bancos em Carneiros, Mata Grande, Monteirópolis, Craíbas e São José da Tapera.

Foram presos Bruno Gomes dos Santos, vulgo “Alemão” de 18 anos; os irmãos Francisco de Jesus, 28, Adeilton de Jesus, 36; Denivaldo Santos Ferraz, o “Vavá”, 54, Luildson Souza Silva, 21, Geovânio Nunes da Silva, o “Mutirão”, 41, Aloísio Leocádio Vilar, 48, o “Tota”, Sebastião de Souza dos Anjos, 20, José Matos Rodrigues Ferreira, conhecido como “Marcos”, 18, Pedro Rodrigues Pereira, 23; Isaquiel Eduardo Pereira da Silva, 24, Ulisses Oliveira Filho, o “Neném Jibóia”.

Além deles, foram presos o mecânico Edmilson Oliveira Santos, o “Galego da Bahia”, 39, apontado como responsável pelo desmanche das motocicletas, e José Luciano Rodrigues Gomes, o “Neném Limão”, 54, pai de Bruno Gomes, também preso, e apontado como líder da quadrilha.

O Secretário de Estado da Defesa Social, Eduardo Tavares disse que a prisão foi uma vitória da polícia alagoana. “É uma vitória da polícia e do nosso grupo especial chamado Gecoc. A nossa meta é tolerância zero. Segurança é caso de cidadania. É interesse da igreja, das escolas, dos hospitais, da popopulação, sobretudo do Estado”, disse.

José Luciano nega as acusações e garante que nunca existiu uma quadrilha. “Não existe quadrilha. As investigações estão muito erradas, é uma vergonha a gente estar sendo preso sem ter feito nada, eu nem conheço todo mundo que está aqui. Não fiz nada e enquanto isso, os ladrões estão lá rindo da nossa cara, não é justo isso com a gente, mas Deus está no céu”, disse.

Preso pela primeira vez, Edmilson, também nega participação em crimes. “Estou indignado, por estar preso com a minha consciência tranquila. Me prenderam só porque acharam que eu fiz isso. Só eu sei o que estou sentindo aqui”, disse aparentemente preocupado.

Os mandados de prisão foram expedidos pelo juiz Orlando Rocha Filho, membro do Conselho Estadual de Segurança Pública. O bando também será autuado por porte ilegal de arma de fogo e formação de quadrilha.

Comentários


  • DEPOIS DESSE DIREITOS HUMANOS NUNCA VI TANTO BANDIDO,TEM QUE APROVEITAR ESSE INGÊNUOS E FAZER UMA SELEÇÃO. PORQUE NÃO CHAMAR O FILIPÃO? MADERA NELES.

    SILVA em 11/02/2014 as 14:03

    Escreva

    O Tribuna Hoje coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais.

    Você também pode nos ajudar a moderar comentários considerados ofensivos, difamatórios, impróprios e/ou que contenham palavras de baixo calão: para isso, envie um e-mail para denuncie@tribunahoje.com.

    Digite o código abaixo para enviar seu comentário.