Adidas lança camisas da Copa com conotação sexual, e governo repudia - Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas
  • Alagoas, de 2014
Esporte

Adidas lança camisas da Copa com conotação sexual, e governo repudia

No exterior, marca de materiais esportivos tem linha polêmica inspirada no Mundial. Embratur vê analogia ao turismo sexual e promete medidas

G1 25 Fevereiro de 2014 - 13:54
Camisa à venda no site da Adidas (Foto: Reprodução / Site Oficial da Adidas)

Camisa à venda no site da Adidas (Foto: Reprodução / Site Oficial da Adidas)

 A empresa de material esportivo Adidas lançou uma linha inspirada na Copa do Mundo que vem causando polêmica. No site americano da marca, é possível encontrar à venda camisas com conotação sexual em referência ao Brasil. De acordo com o jornal o “O Estado de S. Paulo”, o governo brasileiro está incomodado com a situação e promete medidas.

Uma das camisas estampa a frase “I love Brazil” (Eu amo o Brasil). O “love”, no caso, vem em formato de uma bunda feminina, como já havia noticiado o jornal "O Globo". Na outra, em que uma mulher de biquíni segura uma bola, está escrita a frase “Lookin´ to score in Brazil” (Buscando marcar gols no Brasil), que pode ter duplo sentido (pegar mulheres no Brasil). Os preços variam entre $22 e $25 (algo como R$50 e R$60).

A Embratur – Instituto do Ministério do Turismo – pretende notificar formalmente a Adidas ainda nesta semana. O órgão repudia a linha de camisetas que, segundo o governo brasileiro, faz analogia ao turismo sexual. 

- Vamos entrar em contato com a direção da Adidas, fazendo um apelo para que reveja essa atitude e tire os produtos do mercado. Essa campanha vai no sentido contrário ao que o Brasil defende. Nosso esforço é voltado para a promoção do Brasil pelos atributos naturais e culturais. Uma iniciativa dessas ignora e desrespeita a linha de comunicação que o governo adota - disse Flávio Dino, presidente da Embratur, ao jornal “O Estado de S. Paulo”. 

Ao jornal “O Globo”, Flávio Dino foi além, falou em leis e exigiu respeito ao povo brasileiro. 

- Não aceitaremos que a Copa seja usada para práticas ilegais, como o chamado turismo sexual. Exigimos que a Adidas ponha fim à comercialização desses produtos. Lembramos que no Brasil há leis duras para reprimir abusos sexuais e as polícias irão atuar nesses casos no território nacional. O povo brasileiro é acolhedor e temos certeza de que aqueles que nos visitarão irão respeitar o Brasil.

A Adidas no Brasil já está ciente da polêmica mas, por enquanto, ainda não se posicionou sobre o caso. A empresa é parceira da Fifa e uma das patrocinadoras oficiais da Copa do Mundo. A marca, inclusive, fabrica a bola do Mundial. 

Comentários


  • Seja o primeiro a comentar.

    Escreva

    O Tribuna Hoje coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais.

    Você também pode nos ajudar a moderar comentários considerados ofensivos, difamatórios, impróprios e/ou que contenham palavras de baixo calão: para isso, envie um e-mail para denuncie@tribunahoje.com.

    Digite o código abaixo para enviar seu comentário.