Estudo revela aumento da incidência da dengue no Brasil - Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas
  • Alagoas, de 2014
Saúde

Estudo revela aumento da incidência da dengue no Brasil

Revisão de dados epidemiológicos aponta tendências da doença e demonstra necessidade de intensificar as medidas de combate ao mosquito

Assessoria 11 Março de 2014 - 13:11

Foto: Reprodução

Um aumento global na distribuição e na gravidade da dengue no Brasil. Esse é o retrato da doença na última década, segundo estudo publicado na edição mais recente do periódico científico PLOS Neglected Tropical Diseases. A revisão de literatura, que reúne dados epidemiológicos registrados em 51 estudos e teve como objetivo compreender o comportamento da doença no país, revela tendências que merecem atenção.

A análise dos dados demonstra o aumento do registro de casos graves com o consequente crescimento das hospitalizações e mortes, sobretudo devido à co-circulação dos quatro sorotipos do vírus no país e à alta incidência da doença. De 2000 a 2010, mais de 8,44 milhões de pessoas contraíram dengue no Brasil - o maior volume em todo o continente americano no período -, sendo 221 mil casos graves, com mais de 3 mil mortes. Em 2010, foram registradas 80.000 hospitalizações relacionadas à doença.

Outra tendência apontada pela revisão de literatura, apesar da intensificação das medidas de combate ao mosquito, é o constante aumento do número de casos notificados ano a ano. Somente em 2010 mais de um milhão de brasileiros foram infectados. Em 2000, o total de casos registrados não ultrapassou 200 mil.

Também foi observada uma  distribuição da doença em todas as faixas etárias. Desde 2007, a dengue, antes mais comum em adultos jovens, também passou a acometer de forma sistemática crianças e idosos.

Retrato atual

Segundo dados de outro levantamento epidemiológico, publicado no Livro Saúde Brasil 2012, editado pelo Ministério da Saúde, em 2013, a transmissão superou todas as experiências anteriores.

No ano passado, foram notificados dois milhões de casos de dengue no país. "Foram mais de sete semanas consecutivas com mais de 100 mil casos registrados semanalmente", destaca o professor do Departamento de Saúde Coletiva da Universidade Federal de Goiás, João Bosco Siqueira Junior, autor de ambos os estudos.

"As ações de controle do vetor (mosquito) não estão sendo efetivas e a situação é cada vez mais preocupante", alerta a professora do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal de da Bahia, Maria Gloria Teixeira, uma das autoras do estudo publicado na PLOS.

Para conter o avanço da epidemia e evitar as consequências mais graves da doença, a pesquisadora recomenda que a população mantenha o ambiente doméstico livre de criadouros do mosquito e fique atenta aos sinais de alerta da doença: febre alta, dor abdominal intensa, tontura com desmaios e rompimento de vasos superficiais da pele.

"Precisamos usar todas as alternativas tecnológicas disponíveis para controlar a transmissão da dengue", enfatiza o pesquisador João Bosco Siqueira Junior.

Inovações no combate à dengue

Entre as novidades no combate à transmissão da doença, está em estudo a vacina tetravalente contra o vírus da dengue da Sanofi Pasteur. É a vacina que está em fase mais avançada de desenvolvimento clínico e industrial.

De acordo com a Dra. Lucia Bricks, diretora de saúde pública da empresa, os estudos clínicos mostram que a vacina tetravalente contra a dengue é bem tolerada, com perfil de segurança semelhante após cada uma das doses. "Os resultados preliminares de eficácia demonstram, pela primeira vez, que uma vacina candidata contra a dengue é capaz de proteger contra a doença. Em 2014, estão previstos os resultados dos estudos de fase III, em mais de 31 mil indivíduos, que vão avaliar a eficácia da vacina em uma população mais ampla e em diferentes ambientes epidemiológicos", comenta a médica.

Além de investir no desenvolvimento da vacina, a Sanofi Pasteur tem apoiado diversos estudos com o objetivo de compreender melhor os mecanismos de transmissão da doença - como a revisão de literatura publicada na PLOS - e tem buscado informações necessárias para apoiar as estratégias de vacinação mais efetivas, assim que a vacina estiver disponível.

Sobre a Sanofi Pasteur

A Sanofi Pasteur, a divisão de vacinas da Sanofi, fornece mais de 1 bilhão de doses de vacinas todos os anos, permitindo imunizar mais de 500 milhões de pessoas no mundo. Um líder mundial na produção de vacinas, a Sanofi Pasteur oferece a mais ampla gama de vacinas, protegendo contra 20 doenças infecciosas. A herança da empresa, para criar vacinas que protegem a vida, remonta a mais de um século.  A Sanofi Pasteur é a maior empresa totalmente dedicada a vacinas.  A empresa investe mais de 1 milhão de euros por dia em pesquisa e desenvolvimento.  Para mais informações, acesse: www.sanofipasteur.com

 

Comentários


  • Seja o primeiro a comentar.

    Escreva

    O Tribuna Hoje coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais.

    Você também pode nos ajudar a moderar comentários considerados ofensivos, difamatórios, impróprios e/ou que contenham palavras de baixo calão: para isso, envie um e-mail para denuncie@tribunahoje.com.

    Digite o código abaixo para enviar seu comentário.